Negativa de Cobertura da Terapia ABA por Planos de Saúde: Como Lutar pelos Direitos de Seu Filho Autista

terapia-aba

Índice

Introdução

Terapia ABA para crianças autistas é reconhecida por seus resultados significativos no desenvolvimento de habilidades sociais, comunicativas e de aprendizagem. Descobrir que seu filho pertence ao espectro autista inaugura um capítulo repleto de emoções e desafios. Naturalmente, a busca por tratamentos eficazes escala para o topo das prioridades.

Entre as abordagens mais valorizadas encontra-se, precisamente, a Terapia de Análise Comportamental Aplicada (ABA). Contudo, a jornada rumo ao tratamento adequado pode ser interrompida por um obstáculo desanimador: a negação de cobertura desta terapia essencial pelos planos de saúde. Este blog se dedica a orientar os pais sobre como navegar por esta situação adversa, enfatizando a importância de assegurar que os direitos das crianças autistas à saúde e ao desenvolvimento sejam plenamente respeitados e cumpridos.

Vou detalhar os passos para contestar a decisão dos planos de saúde, incluindo a preparação de documentos, o entendimento dos direitos legais e o possível recurso a instâncias superiores. Esse guia pretende ser um aliado na sua luta pelo acesso à Terapia ABA, indispensável para o bem-estar e evolução de seu filho.

Como Contestar a Negação de Terapia ABA por Planos de Saúde para Crianças Autistas

Quando você recebe a notícia de que o plano de saúde negou a cobertura para a Terapia ABA de seu filho autista, o sentimento pode ser de frustração e impotência. Mas saiba que existem caminhos e estratégias para contestar essa decisão e garantir que seu filho receba o tratamento necessário para seu desenvolvimento. Aqui estão os passos essenciais que você deve seguir.

1. Entenda Seus Direitos

O primeiro passo é compreender claramente os direitos de seu filho sob as leis vigentes. No Brasil, a Lei nº 12.764, de 2012, estabelece a Política Nacional de Proteção dos Direitos da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista, garantindo-lhes, entre outros, o direito ao acesso a tratamentos e terapias. Além disso, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) incluiu, em 2018, a Terapia ABA como procedimento obrigatório a ser coberto pelos planos de saúde. Esteja armado com essas informações ao contestar a decisão da operadora.

2. Reúna Documentação Comprobatória

Antes de mais nada, organize toda a documentação necessária para comprovar a necessidade da Terapia ABA para o tratamento de seu filho. Isso inclui diagnósticos, laudos médicos, recomendações de terapeutas especializados e qualquer outro documento que evidencie como a terapia é essencial para o desenvolvimento da criança. Quanto mais robusta for a sua documentação, mais fortes serão seus argumentos.

3. Formalize sua Reclamação

A contestação começa com a formalização de uma reclamação junto à operadora do plano de saúde. Esse recurso deve ser feito por escrito e de maneira detalhada, explicando por que a Terapia ABA é necessária e citando as leis e regulamentações que amparam o seu pedido. É crucial guardar uma cópia desse documento e obter um protocolo de entrega, pois isso servirá como prova de sua tentativa de solucionar o impasse.

4. Recorra aos Órgãos Competentes

Caso a operadora mantenha a negativa, o próximo passo é levar o caso aos órgãos competentes. A ANS é um bom ponto de partida, pois é responsável por regular os planos de saúde no Brasil. Outra opção é buscar o apoio do Procon, órgão de defesa do consumidor, que pode intermediar o conflito. Em paralelo, é possível acionar o Ministério Público, especialmente se houver evidências de que a negação configura uma violação dos direitos da criança.

5. Considere a Via Judicial

Em casos em que todas as tentativas de negociação falharam, recorrer à justiça pode ser o caminho. Muitas famílias conseguiram garantir o acesso à Terapia ABA por meio de liminares. Para isso, é fundamental contar com o apoio de um advogado especializado em direito à saúde, que entenderá as nuances do caso e poderá orientar sobre as melhores estratégias legais.

6. Mobilize Sua Comunidade

Não subestime o poder da mobilização social. Compartilhar sua história e buscar o apoio de outras famílias em situações semelhantes pode fortalecer sua luta. Grupos de apoio e associações dedicadas ao autismo podem oferecer recursos, informações valiosas e, até mesmo, apoio jurídico.

7. Mantenha-se Informado e Ativo

A legislação e as políticas de saúde estão sempre em evolução. Mantenha-se atualizado sobre qualquer mudança nas leis ou nas práticas dos planos de saúde que possam impactar o direito de seu filho ao tratamento. Participar de fóruns, seminários e encontros sobre os direitos das pessoas autistas também pode oferecer novas perspectivas e estratégias para a sua luta.

Conclusão

A negação da Terapia ABA por planos de saúde é um obstáculo significativo, mas não insuperável. Com informação, preparação e ação assertiva, é possível reverter essa decisão e garantir que seu filho receba o tratamento necessário para seu desenvolvimento. Lembre-se, você não está sozinho nesta jornada. Existem muitos recursos e comunidades prontos para oferecer suporte. O caminho pode ser desafiador, mas a recompensa — ver seu filho alcançar seu pleno potencial — é imensurável.

Gostou do conteúdo? Compartilhe!

Acesse nossas redes sociais!

Copyright © 2022 Licínio & Rodrigues Advogados Associados. Todos os direitos reservados